SBB

quinta-feira, 23 de março de 2017

quarta-feira, 22 de março de 2017

CARNE ESTRAGADA - PARA PENSAR


      No passado comprávamos leite, queijo, coalhada, nata, manteiga e doce de leite, do produtor rural, na feira. Hoje o produtor não pode mais vender estes produtos, pois segundo o ministério e os serviços de inspeção, estes podem estar contaminados. Para nossa surpresa, então, compramos leite com soda cáustica, nata com conservantes, reprocessados até não poder mais. Tudo devidamente "INSPECIONADO" por órgãos (in)competentes, que cuidam da saúde de seus bolsos.
      Antigamente também comprávamos na feira a linguiça, o salame, o frango, a morcela, o toresmo e até a carne do porco. Tudo trazido até nós por aquele agricultor que tudo fazia com cuidado. Então vieram os "fiscais", que diziam que era grande o risco de nos contaminarmos. Assim, as grandes indústrias de alimentos, aliás, as dois maiores conglomerados de alimentos do mundo, nos vendem carne estragada, vencida, podre, misturada com lactatos para mascarar o sabor e cheiro. Nos vendem papelão moído que pensamos que era carne de frango, nos vendem pintos, que ainda pararam de piar (28 dias!) como se frango fosse.
      Não importa se a população tem acesso à produtos de qualidade, importa o lucro. Não importa se o pequeno agricultor possa processar seu produto na propriedade. O que importa é o lucro, a propina, o partido, o caixa 2 (3,4,5).
      Talvez agora as autoridades voltem a olhar para a produção artesanal de embutidos. Talvez agora o produtor possa vender novamente a sua nata, coalhada, queijo, manteiga abertamente, não mais como um contrabandista, que precisa levar seu produto escondido, senão os fiscais, é aqueles ficas, vão recolher.

terça-feira, 21 de março de 2017

ARTIGO

 
Hoje, três vezes me negarás.

      Então, voltando-se o Senhor, fixou os olhos em Pedro, e Pedro se lembrou da palavra do Senhor, como lhe dissera: Hoje, três vezes me negarás, antes de cantar o galo. Então, Pedro, saindo dali, chorou amargamente (Lucas 22.61-62).
Enquanto Jesus estava sendo interrogado no palácio do sumo sacerdote, sofrendo o escárnio e a zombaria, lá fora no pátio o apóstolo Pedro estava sendo arduamente atacado por Satanás, e caiu. A queda foi triste. Tão triste, que todos os evangelistas a relatam minuciosamente. Eles relatam este fato não para difamar o apóstolo Pedro, mas para nossa mais severa advertência e consolo. Por isso é necessário que demos muita atenção a este acontecimento.
      Quando Jesus foi preso, todos os discípulos fugiram. Passado o primeiro susto, dois discípulos, João e Pedro, mudaram de ideia.
      Cada qual seguiu sozinho seu caminho. Eles foram ao palácio do sumo sacerdote para ver o que aconteceria a Jesus. João tinha amigos no palácio e conseguiu entrar fácil. Pouco depois veio Pedro, mas encontrou o portão do palácio fechado. Vendo-o João, foi falar com uma empregada que o deixou entrar. João pensou estar prestando um bom auxílio a Pedro. Também boas intenções, podem resultar, por vezes, em situações complicadas. No interior do palácio, João seguiu seu caminho. Pedro, sendo desconhecido neste lugar, preferiu ficar no pátio e assentou-se junto aos soldados.
        Faz pouco, Pedro fora repreendido pelo Mestre por lançar mão da espada.  Agora, novamente, sem ordem do Mestre avança e segue um caminho por conta própria. Não lembrou a advertência de Jesus: Esta noite me negarás. Se temos a ordem de Jesus para ir a lugares difíceis, não devemos temer. Assim os apóstolos testemunharam mais tarde diante de reis e imperadores. Mas Pedro não tinha ordem para seguir Jesus ao palácio do sumo sacerdote. Satanás aproveitou a oportunidade e tentou arruiná-lo.
       Pedro sentou-se na roda dos escarnecedores. Nisso passou ali uma empregada e, vendo-o, disse: Este também estava com Jesus. Podemos imaginar o susto que Pedro levou. Ele começou imediatamente a se defender, dizendo: Mulher, não sabes o que estas dizendo. Como é fácil cair. Uma pequena palavra pode arruinar tudo. “Este também estava com ele”. Poucas e simples palavras que encheram a alma de Pedro de pavor e medo.
       Pedro saiu dali. Depois voltou para o fogo, e para disfarçar conversou com os soldados. Tendo passado uma hora, um homem olhou para ele disse: Também este verdadeiramente estava com ele, porque também é Galileu. Pedro respondeu: Homem, não compreendo o que dizes. E logo, estando ele ainda a falar, cantou o galo. Então, voltando-se o Senhor, ficou os olhos em Pedro, e Pedro se lembrou da palavra do Senhor, como lhe dissera: Hoje três vezes me negarás, antes de cantar o galo. Então Pedro, saindo dali, chorou amargamente. (Lc 22.60-62). As palavras de Jesus: Depois de te arrependeres, fortalece os irmãos (Lc 22.32), evitaram que ele desesperasse. As palavras de perdão de Jesus, às quais Pedro de apegou o reergueram.
A Escritura admoesta: Quem está de pé, veja que não caia (1 Co 10.12). Infelizmente muitos que estavam de pé, pessoas cheios do Espírito Santo e abundantes na obra do Senhor, caíram. Por isso o salmista pede fervorosamente a Deus: Ensina-me a fazer a tua vontade, pois tu és o meu Deus; guie-me o teu bom Espírito por terreno plano (Salmos 143.10). E: Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável. Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito. Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário (Salmos 51.10-12).
       Pedro não havia dado a devida atenção às palavras de Jesus e se colocou em tentação. Quantas vezes isto já aconteceu conosco. Mas Jesus orou por ele (Lc 22.32), como ainda ora por nós, e nós oramos por nossos irmãos: Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal.
       Abismado em meu pecado, / clamarei a ti, Senhor. / Olha o pranto e o desencanto / deste pobre pecador / para amar-te e contemplar-te / com a corte celestial. (HL 345.1).

domingo, 19 de março de 2017

MENSAGEM PARA DOMINGO


Pilatos aparece
      Pilatos havia mandado matar galileus que estavam no Templo. Por quê? “Vocês pensam que, se aqueles galileus foram mortos desse jeito, isso quer dizer que eles pecaram mais do que os outros galileus?” (Lc 13.2)
     Era isso o que as pessoas estavam pensando naquele dia sobre aqueles galileus mortos por Pilatos. 
     E nós, muitas vezes, hoje, também tiramos essa mesma conclusão precipitada. Se uma pessoa sofre algo horrível, como um acidente trágico ou uma doença, então Deus deve estar punindo-a por algum pecado oculto, pensamos.
     E Jesus nos adverte a não julgarmos pelas aparências, ou pelo que a passou, sofre ou sofreu. Ele mesmo foi morto, sendo inocente. Todas as pessoas são pecadoras, e como tais, estão sujeitas a muitos sofrimentos. Arrependidos e, confiando no sacrifício de Jesus em nosso lugar, encontraremos salvação e vida eterna.
      Oração: Deus, ensina-me a não julgar o que tu sentes sobre mim ou qualquer pessoa meramente pelas aparências e circunstâncias. Ao invés disso, faze-me viver pela fé em Jesus Cristo, meu Senhor. Eu oro em nome dele. Amém.
      Leia em sua Bíblia Lucas 13.1-5
Mensagens de Esperança - Hora Luterana

sexta-feira, 17 de março de 2017

REFLEXÃO


Paz a qualquer custo?
Jesus pergunta: “Vocês pensam que eu vim trazer paz ao mundo?” (Lc 12.51) Quantas vezes nós colocamos a verdade em perigo ou nos silenciamos tentando viver em paz com os outros? Mas Jesus não faz isso. Para que nós tenhamos paz eterna, verdadeira, com Deus, ele sofre a violência das pessoas. E sabe que, segui-lo, ainda hoje, pode trazer divisão, sofrimento, mesmo nas famílias. Em Cristo, nem sempre vamos conseguir viver sem tensões com quem não crê, mas viveremos sempre em paz verdadeira, com Deus e eterna.
Oração: Todo-Poderoso Deus, não pode haver acordo entre ti e Satanás, verdade e erro, vida ou morte, céu e inferno. Ajuda-me a me apegar a qualquer custo à paz que os crentes têm contigo, a qual Jesus conquistou. Eu oro em nome de Jesus. Amém.
Leia em sua Bíblia Lucas 12.49-53
Mensagens de Esperança - Hora Luterana