SBB

terça-feira, 31 de julho de 2012

REFLEXÃO

A PORTA DO LADO

Em entrevista dada pelo médico Dráuzio Varella, disse ele que a gente tem um nível de exigência absurdo em relação à vida, que queremos que absolutamente tudo dê certo, e que, às vezes, por aborrecimentos mínimos, somos capazes de passar um dia inteiro de cara amarrada.

E aí ele deu um exemplo trivial, que acontece todo dia na vida da gente...

É quando um vizinho estaciona o carro muito encostado ao seu na garagem (ou pode ser na vaga do estacionamento do shopping). Em vez de simplesmente entrar pela outra porta, sair com o carro e tratar da sua vida, você bufa, pragueja, esperneia e estraga o que resta do seu dia.

Eu acho que esta história de dois carros alinhados, impedindo a abertura da porta do motorista, é um bom exemplo do que torna a vida de algumas pessoas melhor, e de outras, pior.

Tem gente que tem a vida muito parecida com a de seus amigos, mas não entende por que eles parecem ser tão mais felizes.

Será que nada dá errado pra eles? Dá aos montes. Só que, para eles, entrar pela porta do lado, uma vez ou outra, não faz a menor diferença.

O que não falta neste mundo é gente que se acha o último biscoito do pacote. Que "audácia" contrariá-los! São aqueles que nunca ouviram falar em saídas de emergência: fincam o pé, compram briga e não deixam barato.

Alguém aí falou em complexo de perseguição? Justamente.

O mundo versus eles.

Eu entro muito pela outra porta, e às vezes saio por ela também.

É incômodo, tem um freio de mão no meio do caminho, mas é um problema solúvel. E como esse, a maioria dos nossos problemões podem ser resolvidos assim, rapidinho. Basta um telefonema, um e-mail, um pedido de desculpas, um deixar barato.

Eu ando deixando de graça... Pra ser sincero, vinte e quatro horas têm sido pouco prá tudo o que eu tenho que fazer, então não vou perder ainda mais tempo ficando mal-humorado.

Se eu procurar, vou encontrar dezenas de situações irritantes e gente idem; pilhas de pessoas que vão atrasar meu dia. Então eu uso a "porta do lado" e vou tratar do que é importante de fato.

Eis a chave do mistério, a fórmula da felicidade, o elixir do bom humor, a razão por que parece que tão pouca coisa na vida dos outros dá errado."

Quando os desacertos da vida ameaçarem o seu bom humor, não estrague o seu dia... Use a porta do lado e mantenha a sua harmonia.

Lembre-se, o humor é contagiante - para o bem e para o mal - portanto, sorria, e contagie todos ao seu redor com a sua alegria.

A "Porta do lado" pode ser uma boa entrada ou uma boa saída... Experimente!

Dráuzio Varella

segunda-feira, 30 de julho de 2012

87 ANOS DA JELB

Por falta de espaço no calendário, a Juventude Luterana Trindade de Prudentópolis festejou os 87 anos da JELB no dia 28 de Julho de 2012.
Foi uma noite muito abençoada para todos os Participantes.
O culto foi maravilhoso.(faltou foto) Tivemos a estréia do baterista, para ajudar a tocar nos cultos, o menino Jeorge, de 12 anos. (Faltou a foto). Mas valeu pela coragem. Deus o abençoe.
Depois do culto nos reunimos no pavilhão da Igreja e no pátio para uma festa de ARRAIÁ.
Teve até fogueira para iluminar o pátio.


Jovens e pais se divertiram. Teve churrasquinho, pastel, rapadura, amendoim doce, quentão -preparado pelo pastor (de suco de uva -experimente, é uma delícia), bolos, etc...

Rogamos e pedimos que o bondoso Deus derrame ricas bênçãos sobre os jovens de toda JELB.




domingo, 29 de julho de 2012

MENSAGEM

SUPERSTICÃO
 
     Sexta Feira 13 - para muitos este dia é um dia perigoso.  Quero aproveitar este momento e falar um pouco sobre este tema: o cristão e a Superstição. Nós seres humanos, vivemos e nos movemos em meio de toda a sorte de superstições.
     Diariamente, propagandas em Jornais e em emissoras de rádio e televisão, livros e revistas nos convidam a buscarmos alivio de nossas ansiedades e frustrações e oferecendo por muitos meios a solução... São pulseiras de grande poder mágico, cristais, pêndulos, triângulos, dizem eles, que os mesmos possuem força energética, podem combater o Stress, outros sintomas de fundo nervoso, podem servir de amuleto de sorte, de ajuda.
     Diariamente temos o horóscopo do dia onde, emissoras de rádios, jornais, informam que pela leitura dos astros, como que por oração mágica podemos ser encaminhados a bons negócios, libertos de algumas energias negativas tomando alguns cuidados durante o dia e encontrarmos uma linda vida amorosa.
     Quem ainda não encontrou as ciganas que dizem conhecer o nosso futuro pela leitura das linhas das palmas de nossas mãos?
     Quem já não viu os famosos despachos com velas, cachaça, galinhas pretas,charutos, etc?
     Neste contexto de crendices e superstições temos que começar respondendo a pergunta: AFINAL O QUE É SUPERSTIÇÃO ?
     “Atitude de espírito ou pratica de Magia” – “Religião baseada na crença de que certos ritos, atos, palavras, dias, números ou objetos sejam responsáveis pela felicidade ou desgraça de uma pessoa, cidade ou país”. Na realidade, Superstição: “É um sentimento religioso baseado no medo.” - Vivendo na ignorância a pessoa passa a confiar em coisas ineficazes ou tem medo de coisas que não tem poder algum. Esta é a realidade.
     Superstição é uma atitude de fé desvirtuada. Fé errada.
     Fé invertida ou fé pervertida. E uma atitude de fé deficiente, pois confia em forças irreais e dependentes da imaginação do homem. Coisa que o próprio homem criou.


     Vejam: Dizer que certo dia, certo mês, podem, dependendo da posição dos astros, trazer bons fluidos ou maus fluídos. Por exemplo: nº 13 =nº do azar...sexta feira= dia perigoso (só porque Jesus foi morto numa sexta)...Mês de agosto = mes do desgosto, mês do cachorro louco, mês do azar... chega ao ponto que noivas não gostam nem de ouvir falar em casamento neste mês.... (casar neste mês é ter desgosto para o resto da vida...)  Dizer que uma ferradura velha, um galho de arruda ou uma pata de coelho, trevo de quatro folhas podem trazer sorte e proteção....  Dizer que um Gato preto: sinal de perigo e tragédia; que Coceira na palma da mão é recebimento de dinheiro; que perder a aliança é sinal de desgraça no casamento; que derramar sal é sinal de briga e desentendimentos; dizer que entrar por uma porta e sair por outra é deixar a sorte; dizer que se o relógio da casa parar ao meio dia é sinal de morte na família. .... e assim por diante... O que é isto tudo? Isto tudo são crendices. Isso é superstição.
     A Superstição está presente em todos os lugares onde existem pessoas. Está presente entre todas as camadas sociais. Infelizmente esta é a realidade.
      E, infelizmente está presente até entre o povo de Deus - na igreja.
Vivemos hoje como no tempo da Babilônia: o mundo da magia. Velhas religiões da Grécia. da índia. da Ãfrica estão como que retornando em roupa nova. A moda está voltando. Onde Satanás é pintado por elas como figura simpática.
     O cristão convive com este mundo de promiscuidade religiosa. E facilmente absorvem os costumes dos descrentes. Aconteceu com o Povo de Israel foi envolvido e absorveu os costumes, os hábitos e práticas não condizentes com sua "Adoção de filhos de Deus". Chamaram sobre si a ira de Deus.
     Com a superstição o Diabo vai sufocando a fé. Enfraquece a confiança no Senhor. Quem ousaria afirmar: uma pitadinha de droga não faz mal ? Assim são as drogas da Superstição, das crendices, cartomantes, das benzedoras, dos adivinhos, dos horóscopos, dos amuletos, dos cristais de energia positiva, etc, é uma pitadinha desses deuses onde o Deus verdadeiro vai perdendo o lugar em nós. Superstição é pecado contra o 1 e II Mandamentos da lei de Deus. Deus nos Diz assim: Eu sou o Senhor teu Deus e não terás outras deuses diante de mim”. O que Deus quer e o que Deus espera é fé, confiança plena e exclusiva Nele. Somente Ele sabe da nossa vida, do nosso futuro...confiar em Deus é depender Dele e esperar toda a ajuda Nele. Sabendo que para Ele nada é impossível. Eis o conselho do grande sábio Salomão em Pv 3.5: “Confie no Senhor de todo o teu coração”. O salmista no Sl 37.5 nos diz: “Ponha a sua vida nas mãos do Senhor, confie Nele e Ele o ajudará”. Prezado leitor, estás com algum problema em sua vida? A orientação de Deus é esta: “Se me chamarem no dia da aflição eu os livrarei” Sl 50.15, esta é a promessa de Deus.
     Prezados leitores. O apóstolo Pedro nos exorta dizendo: “Estejam alertas e fiquem vigiando, o inimigo de vocês, o Diabo, anda por aí como um leão que ruge, procurando alguém para devorar. Fiquem firmes na fé.” 1 Pe 5.8 Não esqueçam; as superstições são crendices que o diabo, nosso inimigo, usa para desviar a nossa fé de Deus.
     Termino a minha mensagem com as palavras do apóstolo Paulo que nos diz a todos nós: “vistam-se com toda a armadura que Deus nos dá, para ficarem firmes contra as armadilhas do diabo. Nós não estamos lutando contra seres humanos, mas contra as forças espirituais do mal.... por isso, peguem agora a armadura que Deus lhes dá. Assim, quando chegar o dia de enfrentarem as forças do mal, vocês poderão resistir....e depois de lutarem até o fim, vocês continuarão firmes"
.
      Sexta feira 13 é um dia qualquer como qualquer outro dia... Necessita também, como qualquer outro dia, do cuidado e das bênçãos de Deus.
     Confie no Senhor de todo o teu coração. Isto é o que faz a diferença. Am
ém

sábado, 28 de julho de 2012

Conheça a Bíblia - Jó


TEMA DO LIVRO: A pergunta “Por que sofrem os inocentes?” é tratada nesta história bíblica.

      O livro não nos dá indicações certas do autor nem do tempo em que foi escrito. Embora muitos, atualmente, afirmem que foi escrito no exílio ou em época pós-exílio (sexto a terceiro século a. C.), tradicionalmente tem-se fixado a data na época dos patriarcas (século XVI a.C.), ou nos dias de Salomão (século X a.C.).

      A apresentação claramente visível do livro - prólogo, discurso e epílogo, além dos ciclos dentro dos próprios discursos demonstra-nos que se trata de uma interpretação teológica de certos acontecimentos da vida de um homem chamado Jó. Do começo até ao fim o autor procura com diligência responder a uma pergunta básica. Qual é o significado da fé?

      Chefe tribal de extraordinária piedade e integridade, Jó é abençoado por Deus com prosperidade terrena que o converte no homem "maior do que todos os do oriente" (1:3). De repente, Jó sofre vários reveses de fortuna. Vítima de uma série de grandes calamidades, vê-se privado primeiro de seus bens e de seus filhos. Seu corpo se cobre de uma enfermidade repulsiva. Três amigos, que se apresentam com a intenção evidente de consolar Jó, insistem em que seu sofrimento é castigo pelo pecado , e por isso mesmo, seu único recurso é o arrependimento. Mas Jó repudia com veemência esta solução, afirmando sua integridade, e admitindo ao mesmo tempo sua incapacidade de entender sua própria condição. Outro amigo, Eliú, sugere que Jó está passando por um período de disciplina de amor ordenada por Deus, para impedi-lo de continuar pecando. Jó rejeita também esta interpretação. Finalmente, Deus responde às contínuas solicitações de Jó, de uma explicação direta de seus sofrimentos. Deus responde, não mediante uma justificação de sua conduta, nem mediante uma solução imediata, mas em virtude de sua apresentação de si mesmo com sabedoria e poder. Esta apresentação é suficiente para Jó; observa ele que, por ser Deus quem é, deve haver uma solução, e nela apóia sua fé.

      Conquanto o tema do sofrimento e suas causas seja predominante no livro, este preenche um fim mais amplo na mente do autor: o de demonstrar que a certeza da fé não depende das circunstâncias externas nem das explicações conjeturais, mas do encontro da fé com um Deus onipotente e onisciente. Um Deus que também é bondoso e amoroso.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

FRASE DA SEMANA

"O MUNDO É ABENÇOADO NA MAIOR PARTE DAS VEZES POR HOMENS QUE FAZEM AS COISAS, E NÃO POR AQUELES QUE MERAMENTE FALAM EM FAZÊ-LAS".

*****************************************

"E sede cumpridores da Palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos". Tiago 1.22

quinta-feira, 26 de julho de 2012

VÍDEO DA SEMANA

video

JUVENTUDE LUTERANA- COM CARLOS MAGRÃO
Neste final de semana, dia 28 de julho de 2012, a Juventude Luterana de Prudentópolis estará festejando o aniversário da JELB. Com culto às 19h e30 min, logo após Festa Julina com pipoca, quentão, churrasquinho, doces, etc.
Você é bem-vindo para festejar com os jovens esta data.
FELIZ ANIVERSÁRIO JELB (31/05)

quarta-feira, 25 de julho de 2012

terça-feira, 24 de julho de 2012

REFLEXÃO

     Uma grande descoberta – (Mc 8.27-30)
     A vida é uma caixinha de surpresas. Todos os dias, descobrimos algo novo. Há descobertas agradáveis e descobertas desagradáveis. Tem gente que descobre a cura de uma doença, outro que tem uma doença. Tem gente que descobre uma maneira de ganhar muito dinheiro, outro que perdeu tudo o que tinha. Tem gente que descobre uma oportunidade de emprego, outro que perdeu o emprego; tem gente que descobre que a família irá aumentar outro que ele diminuiu; Tem gente que descobre um grande amor, outro que perdeu o grande amor.
     É correto afirmar que a vida é feita de descobertas. Há descobertas que fazemos querendo ou não. Por outro lado, há coisas que só descobrimos se corrermos atrás. Quem está vivo sempre terá oportunidade de fazer muitas descobertas. Você está aberto ou fechado às descobertas?
      “Quem é Jesus? Eu preciso saber. Quem é Jesus eu quero muito conhecer.... Tanta gente fala de Jesus, tanta gente diz o nome dele. Deve ser alguém muito importante.” (Esta é uma parte de uma música infantil, do grupo Diante do Trono)
     A letra desta música infantil retrata muito bem a realidade da maioria das pessoas dos tempos em que Jesus viveu aqui na terra e também dos tempos atuais. Saber quer é Jesus muda a nossa vida por completo. A vida de quem conhece Jesus é uma vida feliz, abençoada e vitoriosa.
     Você sabe quem é Jesus? Você quer fazer esta grande descoberta?
     Vem comigo! Vamos até a Biblioteca! Vamos pesquisar na Bíblia, a biblioteca portátil de 66 livros que conta com excelência e exatidão quem é Jesus, o que ele fez e o que ele falou.
     “O Senhor é o Messias” Mc 8.29 . Esta foi a resposta dada por Pedro em nome dos discípulos, a pergunta feita por Jesus: “E vocês? Quem vocês dizem que eu sou?”
     Esta pergunta pessoal aos seus discípulos foi feita por Jesus depois de verificar através destes que o povo que se aproximava dele e o seguia possuía um conhecimento errado a respeito de sua pessoa.
     “O Senhor é o Messias” Mc 8.29 – O evangelista Mateus registra um “detalhe” a mais muito importante “O senhor é o Messias, o Filho do Deus vivo”. Mt 16.16. Jesus é o Messias, mas também é, O Filho o Deus vivo. Significa que Jesus não é um enviado qualquer, mas é alguém muito especial para Deus. É o filho de Deus enviado para provar e mostrar o tamanho do seu amor pela humanidade.
     O nome Jesus vem do hebraico ישוע (Yeshua) que significa "Javé/Jeová (YHVH) salva". O nome Cristo é originária do grego e equivale ao termo hebraico “Messias’ e significa “Ungido”. Jesus foi Ungido por Deus para purificar, buscar e salvar a raça humana corrompida por seus desejos e escolhas erradas. Jesus Cristo, é o cumprimento da promessa de Deus, feita a Adão e Eva, a Abraão, Isaque e Jacó e anunciada por vários profetas, como Isaías e Jeremias.
     Jesus veio ao encontro de uma mulher de Samaria, uma mulher de vida enrolada, que vivia casando e descasando em busca de saciar a sua sede de felicidade e paz. Ali perto do poço de Jacó Jesus se apresenta aquela mulher como a fonte da água da vida, oferece água purificadora a esta mulher, fala que Deus está cansado de falsos adoradores, que ele veio para revelar que o Pai está em busca de pessoas que o adorem em espirito e em verdade. Ainda confusa a mulher responde: “Eu Sei que o Messias, chamado Cristo, tem de vir. E, quando ele vier, vai explicar tudo para nós”.Jo 4.24 - Jesus não deixa aquela mulher em dúvida. Ele afirma: “- Pois eu, que estou falando com você, sou o Messias.” Jo 4.26
     Muitas pessoas nos tempos Bíblicos descobriram ou conheceram Jesus e alguma característica dele. Estas descobertas aconteceram em situações bem diversas.
     -A prostituta no momento que ia ser apedrejada por conta de seus erros, descobre o Jesus bondoso;
     -Jairo quando a doença e a morte se abateram sobre sua família, descobre O Jesus que tem poder de dar vida;
     -Mateus, quando Jesus vai até o seu local de trabalha e o convida para segui-lo descobre um Jesus que convida pecadores para serem seus porta-vozes.
     -Zaqueu, depois de subir numa árvore quando Jesus se convida para ir a sua casa, descobre que Jesus pode mudar o coração, pensamento, atitude daquele que vive uma vida errada e revoltante;
     A espera acabou. O prometido veio. Tudo o que Deus prometeu se cumpre na pessoa de seu filho Jesus. E tudo o que é prometido em o nome de Jesus está registrado e catalogado na Biblioteca Sagrada.
     Há muitos cristãos velhos de igreja que conhecem menos de Jesus do que muitas crianças e recém, convertidos. Isso acontece porque não leem a Bíblia com regularidade. Seu contado com Bíblia é ocasional, apenas de ouvir o que é lido durante os poucos cultos que participam na igreja.
     Sabe realmente quem é Jesus somente aquele que vive ao lado dele, aquele que mantém um relacionamento sério, baseado na fé e fundamentado na Biblioteca Sagrada.
     Não é sábio se afastar Dele, nem se deixar levar por outros ensinamentos. Quem faz isso está jogando pelo ralo a única maneira que Deus criou e disponibilizou para nos socorrer e Salvar. Se você quer dar uma virada em sua vida então, hoje é o dia D. Faça como milhares de pessoas já fizeram a exemplo de Pedro e seus companheiros: “Quem é que nós vamos seguir? O senhor tem as palavras da vida eterna! E nós cremos e sabemos que o senhor é o Santo que Deus enviou”. Jo 6.68-69
     Se alguém chegasse até você dizendo: Eu já ouvi algumas coisas sobre Jesus, não sei se estão corretas, fale-me um pouco sobre Ele, o que você diária? Jesus é... Ou, onde posso me esconder?
     Para muitas pessoas, inclusive muitos que se confessavam cristãos o assunto Jesus, até hoje os fazia passar vergonha. Esta história não vai mais se repetir. A partir de hoje falar a respeito de Jesus será algo prazeroso e honroso para você. Muitas pessoas descobrirão quem é Jesus através de você. Fale o que você ouviu hoje ou até hoje, e muitas vidas serão transformadas. O que você está esperando para surpreender as pessoas?
     Jesus quer ser conhecido por todos. Esta descoberta deve ser revelada a todos. É aí que nós entramos. Devemos revelar as pessoas a grande descoberta que fizemos. Devemos contar as pessoas quem é Jesus. Falar de missão, do seu amor que tudo pode mudar. Mostrar, que Ele oferece aos que o conhecem, creem e buscam sua ajuda e seguem seus ensinamentos.
     Viva com Jesus seja fiel a ele em tudo. Empenhe-se em ajudar as pessoas a fazer esta grande e única descoberta capaz de mudar sua vida de uma vez para sempre: Jesus, o Messias!
     “Quem é Jesus? Eu preciso saber. Quem é Jesus eu quero muito conhecer.... esse é o grito que ecoa do coração de milhões de pessoas pelo mundo afora.
Pr. Elton Junges
CEL PAZ - COSMÓPOLIS - SP

domingo, 22 de julho de 2012

MENSAGEM DE DOMINGO

No verdadeiro Jesus, o verdadeiro perdão, a verdadeira vida
Tema: Esquecimento
     Introdução
      Que pecado você gostaria de esquecer? Ou que os outros esquecessem?
      Temos uma multidão de pessoas cristãs que equivocadamente dizem fazer algo para saldar sua dívida, pagar seus pecados. Desejam a todo custo pagar pelo pecado ao qual elas não esquecem e desejam que Deus os esqueça.
      Há os que acham ser necessário jejuar, ser dizimista fiel, abster-se de certos alimentos, não cortar cabelo, não visitar outras igrejas, realizar boas ações, etc. E o tempo ideal para esses cumprimentos está acabando. Muitos não tendo aproveitado a quaresma, terão que esperar mais um ano para quem sabe ano que vem poderem realizar muitas dessas obras para assim terem seus pecados pagos. Muitos viveram a quaresma com o peso da lei. Como uma oportunidade de saldarem suas dividas com Deus. Mas, isso foi e é possível?
      O que dizer das palavras: “Perdoarei as suas iniqüidades e dos seus pecados jamais me lembrarei(Jr 31. 34b). Em que circunstância Deus perdoará nossos pecados? O que faremos para que Deus esqueça nossos pecados?
      Se fosse anunciado 10 maneiras de agradar a Deus, tenho certeza de que muitos iriam tentar cumprir esses requisitos.
      A questão é que:
      “Eis ai vêm dias, diz o Senhor, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá” (Jr 31.31)
      Deus já havia feito uma aliança com o seu povo. Aliança escrita em duas pedras, os dez mandamentos. Eram 10 regras. O que fazer e o que deixar de fazer. E o povo? Bom, o mesmo não conseguiu cumprir a lei. A antiga aliança rompeu-se com a desobediência, pecados e infidelidade do povo. O povo que gostava e o povo que gosta de regras, não as cumpre. Afinal, regras são boas para os outros. Muitos observam se os outros cumprem as regras, e se não as cumprem são acusados.
      O povo foi e continua sendo infiel. E Deus? Usando palavras de Paulo digo: “Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, pois pela graça sois salvos, ...” (Ef 2. 4 – 5).
      Deus olhou e olha para o pecador com amor, com misericórdia e faz uma nova aliança. Será que terei que cumprir apenas cinco daquelas 10 regras? Não. Nada disso. A nova aliança consiste no esquecimento de Deus. Ele se esquece dos nossos pecados. Mas como isso é possível? Em Jesus. Pois, como bem dito pelo profeta Miquéias: “Quem, ó Deus, é semelhante a ti, que perdoas a iniqüidade e te esqueces da transgressão do restante da tua herança? O Senhor não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na misericórdia” (Mq 7. 18).
      Deus tem prazer em apresentar a sua misericórdia e o seu amor por nós. Ele é diferente de nós. O perdão de Deus é gratuito e sem cobrança: “Tornará a ter compaixão de nós; pisará aos pés as nossas iniqüidades e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar” (Mq 7. 19).
      Se Deus é assim, porque muitos o abandonam? Somos de naturezaecaminosa e como tal temos apenas a vontade e disposição de abandonar a Deus. Deus é que age para que sejamos trazidos a fé e nos faz permanecer na fé. Enquanto Deus faz tudo para nos dar e manter na fé, nosso inimigo, como diz o apostolo Pedro: “... O diabo, vosso adversário, anda em derredor como leão que ruge procurando alguém para devorar; ...” (1Pe 5.8 ). E se o nosso inimigo age para nos afastar de Deus que esquece nossos pecados, Deus em seua mor, através da sua palavra nos aconselha a sermos sóbrios e vigilantes. Por que ter sobriedade? Ex: “um bêbado não sabe o que faz e nem para onde ir”. Somos tentados a abandonar esse Deus misericordioso e tentar nos agarrar em nossas obras, nossos supostos feitos cristãos. A sobriedade e a vigilância se deve ao fato de que: “nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus” (2Co 4.4). O desejo do nosso inimigo é que abandonemos o verdadeiro fundamento e abrigo que é Jesus.
      Nosso inimigo não quer que a luz do evangelho brilhe sobre nós. Ele nos mantêm presos aos requisitos da lei. Muitos por não jejuarem, não se acharem preparados para a santa ceia, deixam de receber e alimentar a fé dada por Deus no batismo, na pregação e no sacramento do altar. Ainda há uma necessidade egoísta e contraria a palavra de Deus de preparo, como jejum, roupa, obras, bom comportamento. Esquecemos que Deus providenciou a nova aliança: “este é o sangue da nova aliança”. Deus, em Jesus esqueceu e esquece nossos pecados.
      Que pecado você gostaria de esquecer? O que fazer para esquecê-los? Nada. Nem tente esquecê-los. Isso também é graça de Deus. Pois lembrando-se dos seus pecados, você também reconhecerá a necessidade que tem da graça de Deus em Jesus. Reconhecer que necessita de um salvador é recorrer a sua cruz, é viver a verdadeira quaresma, ou seja, olhando para aquele que sofreu em seu lugar para fazer o que você por suas forças não consegue, pagar pelos pecados. Agora, se teu pecado está pesando em seu coração e acusando a sua consciência, tranquiliza-te, pois Deus fez uma nova aliança, e em Jesus esquece todos os teus pecados. Aproveite e delicie-se e viva na nova aliança, ou seja, viva o que Deus te dá de melhor, no perdão, na nova vida em Jesus. No verdadeiro Jesus, o verdadeiro perdão, a verdadeira vida.
      Deus em Jesus esquece seus pecados. O seu inimigo deseja, faz e fará tudo para que você esqueça de Deus, esqueça da nova aliança e assim continue escravo da lei e das regras que te impõe aquilo que Jesus já pagou na cruz em nosso lugar.
      Querido e querida irmã, nesse ultimo culto de quaresma, sabendo do verdadeiro Jesus, recebendo o verdadeiro perdão, desejo que você viva a nova vida, reconheça o que Paulo reconheceu: “Já não procuro mais ser aceito por Deus por causa da minha obediência à lei. Pois agora, é por meio da minha fé em Cristo que eu sou aceito; essa aceitação vem de Deus e se baseia na fé (Fp 3.9), não tente viver por seus esforços, mas viva na misericórdia e na graça de Deus em Jesus. Amém!
Pr. Edson Ronaldo Tressmann

sábado, 21 de julho de 2012

Conheça a Bíblia - Ester


Tema do livro: Este livro relata a história de uma rainha judia da Pérsia, que denunciou um complô que visava destruir seus compatriotas. Com isso ela evitou que todos fossem aniquilados.
 

Não se pode conseguir evidência certa com respeito ao autor do livro de Ester. A paternidade literária tem sido atribuída a vários personagens (Esdras, Joaquim, Mardoqueu, homens da Grande Sinagoga). Nada há de improvável em se atribuir o livro a Mardoqueu, destacado personagem guardador dos fatos principais narrados no livro.

 

Diferentemente das obras de ficção e romance, o livro de Ester está profundamente saturado de história e documentado com datas específicas. Este livro, à semelhança da profecia de Ageu está datado segundo o reinado de Assuero, a quem se identifica comumente como Xerxes I (485 a 465 a.C.) da antiguidade. Segundo escavações realizadas na era moderna, em Susã, tem-se comprovado de forma substancial a exatidão do autor, que deve ter tido conhecimento pessoal do povo e da história.

 

O livro de Ester descreve graficamente as lutas vitoriosas dos judeus dispersos, durante o período do rei persa Assuero, contra as iníquas conspirações do primeiro-ministro chamado Hamã. Embora nunca se mencione neste livro o nome de Deus, sua mão se manifesta continuamente em todos os pormenores circunstanciais da narrativa.

 

Ester, por sua beleza, é escolhida rainha em lugar de Vasti; Mardoqueu, em virtude de sua capacidade, toma o lugar de Hamã no cargo de primeiro-ministro. Todos os personagens desde o rei até ao escravo, desempenham seu papel no momento oportuno. Hamã é encarnado do mal; Mardoqueu, a essência da bondade; Assuero, inflexível, possui também traços vigorosos. Ester, prima de Mardoqueu e sob a tutela deste, converte-se na heroína da história devido à sua boa vontade de arriscar a vida e sua posição, a pedido de Mardoqueu, em benefício de seu próprio povo em época de profunda necessidade.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

FRASE DA SEMANA

"A MEDIDA DE UM HOMEM NÃO É FEITA PELO QUE ELE FAZ NO DOMINGO, MAS ANTES O QUE ELE É DE SEGUNDA-FEIRA A SÁBADO."

********************************

"... e oramos para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra ..." Colossenses 1.9,10

terça-feira, 17 de julho de 2012

REFLEXÃO - TRABALHO DA IELB - PARTE II

A história nos ensina.

Vida de uma história fundamentada na Biblioteca divina
Tema mensal: IELB: 108 anos comunicando a Vida no Brasil.
Tema: Vida de uma história fundamentada na Biblioteca divina

      A IELB nesses 108 anos oficialmente no Brasil aprendeu com suas aquarelas que é possuidora de uma história, fazendo parte da biblioteca histórica brasileira transmite ricos ensinamentos. Um breve exemplo:
      Um povo estrangeiro teve que se abrasileirar. Um povo que teve que aprender a ofertar. Um povo teve que aprender como se relacionar com as outras denominações, etc, etc, etc.
      E os aprendizados continuam. E o valor do aprendizado e do ensino se deve ao simples e importante fato de que a IELB se fundamenta numa outra biblioteca, a divina. O aprendizado ainda não terminou, nem tampouco o ensino. E justamente por estarmos na escola da fé, tendo como livro principal a biblioteca divina, nunca há formatura, há sempre novos alunos, aprendendo com velhos alunos que continuam sendo aprendizes. E assim queremos nesse dia tão especial, dia em que comemoramos 108 anos de IELB meditar sobre duas, de tantas belas histórias registradas na Biblioteca divina. Uma é a história de Jó e a outra é a história dos discípulos.
      Semelhantemente a história de vida da IELB que emociona e ensina, são essas duas histórias, que mesmo estando separadas por mais ou menos 2.000 anos, nos transmitem um rico ensinamento. Deixem-me relatar um pouco dessas histórias contidas na biblioteca divina.
1 – A história de Jó
      História é um olhar para o ontem. A história não quer só nos fazer voltar ao passado, quer também nos mostrar que o passado nos ajuda no presente, pois o aprendizado nos auxilia a viver melhor o hoje e nos prepara para o futuro.
      A história desse homem que morava no deserto da Arábia, rico, justo, amoroso com seus filhos, nos emociona e auxilia em nossa vida diária. Nos seus dias era um homem de uma moral que encontramos em poucos no nosso dia, “ele se desviava do mal”.
      Um homem desses tem amigos e também inimigos. O inimigo desse homem, por coincidência é nosso inimigo também. E ele disse ao melhor amigo de Jó: “se ele perder toda a sua riqueza, os seus bens materiais, com certeza irá negar sua fé”.
       Esse homem rico e íntegro, amoroso, cristão, perdeu quase tudo o que possuía, restou-lhe apenas sua amada esposa e alguns amigos.
       A primeira lição que a história de Jó nos ensina é como lidar com as perdas. Jó perdeu coisas valiosas, algumas que o dinheiro pode comprar – bens materiais, mas perdeu algo que o dinheiro não pode comprar – filhos. Entre tantas perdas, continuou firme, íntegro, fiel e temente a Deus.
       Jó pela fé reconhecia que Deus não desamparava os seus. Mesmo antes de ter sido dito pelo apóstolo Paulo, Jó sabia que: “... até agora o Universo todo geme e sofre como uma mulher que está em trabalho de parto” (Rm 8.22). Reconhecia que o sofrimento e a dor fazem parte da vida diária da humanidade.
Jó é uma história de vida que nos emociona e ensina. Emociona devido às enormes perdas que teve. Em um só dia perdeu sua riqueza e seus filhos (1.14-19). Quem de nós suportaria tantas perdas? Em meio a tudo, recebemos um belo ensino: “...Nasci nu, sem nada, e sem nada vou morrer. O Senhor deu, o Senhor o tirou; louvado seja o teu nome”.
       Jó permaneceu integro, e mesmo assim, foi permitido por Deus que caísse sobre ele tumores desde a planta do pé até a cabeça. Esses terríveis acontecimentos levam a sua esposa ao desespero, mas Jó transmite um belo ensino: “...Você está dizendo uma bobagem! Se recebemos de Deus as coisas boas, porque não vamos aceitar também as desgraças?...” (2.10).
       Deus não desampara os seus. Deus é o nosso auxilio em toda e qualquer situação, assim como descreve o salmista: “O Senhor está comigo, e eu não tenho medo, que mal pode alguém me fazer?” (Sl 118.6), “O Senhor é a minha rocha poderosa e o meu abrigo” (Sl 62. 7).
       Uma história real que emociona e ensina. Os bens materiais não estão condicionados a vida cristã íntegra e fiel. A vida cristã não é uma vida tranqüila sem dor e sem sofrimento. Nossa vida de fé não depende do que temos ou queremos ter.
       Deus permitiu coisas ruins acontecerem a Jó, mas não o deixou de lado, esteve com ele em toda a situação, falou com ele e assim lhe mostrou seu cuidado e amor. O mesmo foi e é com a IELB. Tendo passado e ao passarmos por situações dolorosas e difíceis, ouvimos o que Deus nos ensina na sua santa Palavra. Debruçamos-nos sobre a biblioteca divina e dessa biblioteca recebemos forças para que não caiamos na tentação de ouvirmos outras vozes que simplesmente quer nos afastar desse Deus amoroso e misericordioso que nos cuida e ama.
       IELB, 108 anos comunicando a Vida de uma história fundamentada na Biblioteca divina.
2 -A história dos discípulos.
        A IELB tem nesses seus 108 anos de vida, uma história que emociona e ensina. E a história que emociona e ensina a IELB é a história de um professor brilhante com 12 alunos especiais. Suas lições eram apresentadas ao ar livre. Ensinava em cima de um barco, num monte, na sinagoga, no templo, etc, e seus alunos com ele e uma grande multidão que sempre o acompanhava.
       Esse professor ensinava através de relatos ocorridos diariamente entre as pessoas. Seu ensino era simples com lições incríveis. Lições que penetravam e ficavam na mente de todos que o ouviam.
       Num desses dias, bonito, agradável, o barco estava à beira da margem e o professor de lá falava. Mais uma aula magnífica estava iniciando. Nessa aula o professor resolveu contar quatro histórias: do agricultor, do lampião, da semente, e de um pequeno grão de mostarda.
       No seu ensino sobre o grão de mostarda, Jesus ensinou que a menor de todas as sementes ao germinar e crescer, quando grande, se torna uma das maiores hortaliças. Nas margens do lago da Galiléia, local onde estavam reunidos, chegava a alcançar cerca de 2 metros e meio a três metros de altura, e assim, até os passarinhos podiam se aninhar nela.
       O professor mostrou que o evangelho é uma semente, semeada pelos quatro cantos da terra, e por essa semente se opera a fé, e pela fé se aninha milhares de pessoas no reino de Deus.
       Essa semente, esse evangelho é comunicado pela IELB nesses 108 anos de vida em terras brasileiras, mesmo diante da palavra do professor que apresenta a rejeição de muitos. A IELB segue semeando, a exemplo de Jesus que tinha diante de si um publico que desejava apenas surpreende-lo num erro.
       Depois de ter se dedicado a um dia de aula extenuante, o professor, que já sendo tarde deseja descansar. Para isso resolve ir até o outro lado do lago, num lugar chamado Gadara.
       Os alunos atendem ao pedido do professor e navegam até o outro lado. Mas as lições não haviam terminado. Esse professor ensinava além das palavras, ele ensinava através dos acontecimentos. E todo esse ensino, seja por palavras ou acontecimentos, era necessário, para que seus alunos fossem bem preparados para a seqüência da missão de Deus.
       Olhando para a biblioteca da IELB, vemos os preciosos ensinos, sejam pela Palavra de Deus ou pelos acontecimentos, o quanto crescemos como igreja, como povo de Deus. 108 anos de uma rica e maravilhosa caminhada em terras brasileiras. Uma caminhada de aprendizado e ensino.
       No barco, onde a calmaria, de repente, foi surpreendido por um forte temporal de vento. As ondas se chocavam contra o barco que ia se enchendo de água. Parecia o fim. Os alunos estavam desesperados, gritando pedindo socorro. O professor estava dormindo tranquilamente. Desesperados acordam e reclamam com o professor: não está nem um pouco preocupado, vamos morrer! Venha ajude-nos!
       A IELB tem em suas fileiras muitos alunos. E como estão esses alunos? Muitos desesperados. Afinal, estamos com mais de 20 locais sem pastor. Estamos precisando de pastores. Será que é o fim?
       O professor acorda, levanta e vê aquela cena, discípulos apavorados, vento forte que agitava as ondas, e com autoridade diz: “Silêncio! Fique quieto!” (v. 39b). Ele resolveu a situação que assustava os alunos. E depois os questionou sobre algo que incomodava o professor: “Por que é que vocês são assim tão medrosos? Vocês ainda não têm fé?” (v. 40).
       Sabemos que Deus não tenta ninguém, mas as tentações que Deus permite cair sobre nós são para provar, fortalecer e purificar a nossa fé. Os discípulos precisam estar cada vez mais certos de que Jesus de fato era Filho de Deus, pois muitos dos que ouviam Jesus duvidavam disso e Jesus mostra que somos completamente dependentes dele.
       Histórias, a de Jó e dos Discípulos, com uma grande lição: o cuidado de Deus.
      Cuidado esse que culminou na morte e ressurreição de Jesus. E em Jesus somos cuidados por Deus. E por estarmos fundamentados em Jesus, a IELB é uma história que emociona e ensina.
       Numa biblioteca conseguimos muitas histórias. Histórias importantes. Histórias que nos ensinam. Como IELB, fazemos parte dessa biblioteca, afinal, 108 anos já nos dão critérios para sermos uma história que emociona e ensina. No entanto, nosso orgulho está em termos uma história, por estarmos fundamentados na biblioteca divina. Amém!

Rev. Edson Ronaldo Tressmann
cristo_para_todos@hotmail.com

domingo, 15 de julho de 2012

REFLEXÃO DE DOMINGO

                      O Cristão e a Rio + 20
No Princípio criou Deus os céus e a terra... E... viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Gênesis 1.1,31
     Acontece nesses dias a Rio+20. Esse importante encontro visa discutir as questões de sustentabilidade do planeta. Esta discussão se faz necessária frente aos problemas climáticos, energéticos, de produção e de exclusão social que a humanidade produz de uma ou de outra forma.
     E o que ela tem a ver com os cristãos????? Muito simples: Tudo e muito mais. Ou melhor, talvez antes de tudo, nós cristãos estamos ou deveríamos estar preocupados e engajados no bom uso dos nossos recursos naturais dados por Deus para nossa utilização responsável.
     Se lembrarmos bem o texto da criação em Gênesis ainda antes da queda, veremos que Deus colocou a sua criação sob nosso cuidado, haja vista sermos a coroa da sua criação (Gn 1.28ss). E diante da sua criação e decisão de nos tornar coadjuvantes no seu cuidado, concluiu: viu Deus que tudo era muito bom (Gn1.10,12,18, 21, 25, 31).
     Também sabemos que a história continua. Veio o pecado (Gn 3) e corrompeu essa harmonia entre Deus e sua criação; entre o Criador e nós criaturas. Nós nos rebelamos contra o Autor da criação e tornamos a criação divina no caos que hoje sofremos. Nesse caos, esvaem-se as reservas de energia, a água torna-se objeto de luxo, a produção de alimentos que bate recorde, deixa muitos morrendo de fome; sem contar a violência individual e de nação contra nação que gera conflitos, sofrimento e morte. Por isso, concluí Paulo: a natureza (a criação) toda geme aguardando o dia da redenção(Romanos 8.22-25).
     Mas, enquanto isso, como ficamos? Apenas observando as discussões da Rio+20? Não!. Mas começamos confessando que Cremos em Deus Pai Todo Poderoso criador dos céus e da terra. Confessamos que a natureza não nos pertence, mas é dada por Deus, para dela cuidarmos. Ou seja, como explica Lutero, confessamos que “Deus criou a mim e a todas as criaturas, e me deu corpo e alma, olhos, ouvidos e todos os membros, razão e todos os sentidos, e ainda os conserva...” Ainda “me dá todo o necessário para o corpo e a vida”. “Protege-me ... guarda de todo o mal. E tudo isso faz unicamente por sua paterna e divina bondade e misericórdia, sem nenhum mérito ou dignidade de minha parte. Por tudo isso devo dar-lhe graças e louvor, servi-lo e obedecer-lhe”(1º Artigo do Credo Apostólico e extrato da explicação de Lutero).
     E após confessar com palavras, é útil seguir a recomendação de Lutero que se refere a servir ao Deus criador de todas as coisas. Como? Discutindo a dura realidade de degradação que afeta o mundo criado por Deus, como faz a Rio+20. Mas também, acima de tudo servindo a Deus, trabalhando em prol da conservação da criação que Deus colocou em nossas mãos, para dela usufruirmos. Esse é o compromisso cristão com um mundo melhor.
     Seria isso uma utopia? Pode ser. Mas Lutero teria dito: “Se soubesse que o mundo terminasse amanhã, mesmo assim, hoje eu plantaria uma árvore”. Ou seja, mesmo sabendo pela Escritura que Deus nos reserva algo melhor no amanhã, na eternidade, o aqui e agora é nosso dever como filhos de Deus, cidadãos e responsáveis pela preservação do mundo que Deus nos deu. Que Deus nos ajude nessa tarefa.
Pr. José Daniel Steimetz

sábado, 14 de julho de 2012

Conheça a Bíblia - Neemias

Tema do Livro: Depois do templo, também foi reconstruída a muralha de Jerusalém. Neemias foi quem dirigiu esse empreendimento. Ele também colaborou com Esdras para restaurar o fervor religioso do povo.

Acredita-se, em geral, que Esdras e Neemias constituíam originalmente um só livro. O compilador emprega aqui as memórias pessoais de Neemias, bem como outros materiais.

Este livro lega-nos uma lição quanto ao sacrifício, à oração e à dedicação a Deus. Neemias, o personagem principal, renunciou a um cargo de responsabilidade e bem remunerado perante o rei da Pérsia, no ano de 445 a.C., a fim de construir os muros de Jerusalém e congregar os judeus como nação.

Seus trabalhos provocaram a intensa oposição de homens poderosos, mas Neemias se sobrepôs às ameaças, adotando sábias medidas defensivas. Solucionou a falta de unidade interna enfrentando o problema mediante exemplo pessoal digno, e resolveu as acusações falsas mediante discernimento e coragem.

Terminada a reconstrução dos muros, tomou medidas para que a cidade estivesse plenamente habitada, mas, acima de tudo, tomou providências para que Esdras lesse a lei a fim de que o povo pudesse reger sua vida por ela. Ele e o povo confessaram os pecados nacionais, buscaram o perdão divino, e renovaram a aliança com Deus. Foi trazida gente da cidade, fizeram-se preparativos para os cultos de adoração, e os muros foram consagrados. Mas no decorrer dos anos, o fervor do povo começou a declinar, e Neemias viu-se forçado a introduzir novas reformas, mesmo em face da oposição.

O livro mostra a necessidade da oração e de uma atitude firme na obra de Deus. As orações de Neemias constituem um excelente estudo.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

FRASE DA SEMANA

"As tradições são boas até onde elas não nos impedem de servir corretamente a Cristo. Se nos apegarmos a alguma tradição que nos atrapalha servir corretamente a Cristo, então precisamos fazer como Jairo: que se danem as tradições e que Cristo viva em mim". (M.F.Voss- Sermão de 1/7/12)

quarta-feira, 11 de julho de 2012

terça-feira, 10 de julho de 2012

REFLEXÃO - TRABALHO DA IELB - PARTE I

 A história nos ensina             
Vida de uma história fundamentada na Biblioteca divina
Tema mensal: IELB: 108 anos comunicando a Vida no Brasil.
Tema: Vida de uma história fundamentada na Biblioteca divina
      Numa biblioteca conseguimos muitas histórias. Histórias importantes. Histórias que nos ensinam. Como IELB, fazemos parte dessa biblioteca, afinal, 108 anos já nos dão critérios para sermos uma história que ensina. E falando em história, temos a nossa história registrada em dois belos livros, cujo titulo é: Grão de Mostarda, Volumes I e II. E entre os mais variados relatos históricos, quero apenas enumerar parte da mensagem proferida em cada um dos aniversários mais destacados da IELB.
      Por ocasião do 25º aniversário foi publicado o livro “Fuenfundzwanzig Jahre unter dem Suedlichen Kreuze” ou seja, “Vinte e cinco anos sob o cruzeiro do Sul” editado por Otto H. Beer. (Grão de Mostarda: A história da Igreja Evangélica Luterana do Brasil. Mário L. Rehfeldt. Vol 1, p. 106)
      Por ocasião do 50º aniversário houve celebrações de agradecimento pelo trabalho missionário do Sínodo de Missouri no Brasil. O então presidente do Distrito, pastor R. Hasse, pregou na ocasião da convenção no culto do jubileu de ouro sobre o texto do Salmo 126.2 -3: “Então, a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua, de júbilo; então, entre as nações se dizia: Grandes coisas o Senhor tem feito por eles. Com efeito, grandes coisas fez o Senhor por nós; por isso, estamos alegres.” (Grão de Mostarda: A história da Igreja Evangélica Luterana do Brasil. Mário L. Rehfeldt. Vol 1, p. 168)
      Por ocasião do 75º aniversário celebramos conforme as palavras do Dr. Jacob A. O. Preus o fato de sermos o maior campo missionário da LCMS em toda a sua história, que eram de 135 anos. Como IELB tínhamos algumas alegrias e tristezas, afinal já eram 75 anos de missão em terras brasileiras.
      A IELB já atuava em Portugal, Paraguai, trabalho esse que havia sido iniciado pela Argentina em 1936. Havia um instituto em São Leopoldo e um seminário em Porto Alegre e um que havia sido fechado após 11 anos de funcionamento, o ICSP. Já estávamos envolvidos com trabalho com deficientes auditivos e um intenso trabalho social. Também tínhamos iniciado nosso ministério através da Hora Luterana. Tínhamos programa na televisão, TV Erechim (Alto Uruguai, RBS TV), denominado A Hora, produzido e apresentado pelo pastor Edgar Tilp. Também a Comunidade Canoas, RS, havia criado em 1972, as Faculdades Canoenses. Em 1979, no dia 13 de outubro, foi lançada a pedra fundamental do novo campus da futura Universidade Luterana do Brasil (ULBRA).
      Por ocasião do 75º aniversário o então presidente Johannes H. Gedrat disse em entrevista ao Mensageiro Luterano que éramos uma família complicada, mas ao mesmo tempo maravilhosa. Uma família de 300 pastores, 177.000 (Cento e setenta e sete mil) fiéis batizados. E que tinha como alvo a independência financeira da LCMS. Ao celebrar seus 75 anos a IELB dizia que lhe faltava palavras e gestos para agradecer a Deus pelas inúmeras bênçãos. Deus é tão grande e gracioso e nós pequenos e nossa comemoração insuficiente.
      Em São Pedro do Sul, local onde se iniciou oficialmente a IELB, reuniram-se no dia de 17 de junho cerca de 1.000 (um mil) pessoas. Que lancharam ali mesmo em campo aberto. Em sua mensagem o então presidente da IELB ressaltou a vastidão da seara brasileira e a necessidade de fiéis trabalhadores para a ceifa. Em Porto Alegre, no dia 18 reuniram-se cerca de 6.000 (seis mil) pessoas, num culto de duas horas e quarenta e cinco minutos. E assim como feito em 1904 na conferência de fundação em Rincão São Pedro, o Salmo 48 foi lido e usado como voto solene. Com esse salmo foi expressada a gratidão da IELB pelas bênçãos derramadas por Deus nesses 75 anos e promessa de reconsagração ao olhar para o futuro, no qual foi pedido que: “o nosso Deus para todo o sempre é nosso guia até a morte.” (Mensageiro Luterano, Edição Especial, Álbum Histórico 75 anos Igreja Evangélica Luterana do Brasil, pp. 74).
      Na ocasião do 100º aniversário o então presidente Pr Carlos Walter Winterle transmitiu a mensagem a partir do tema “A semente de mostarda – Ontem, Hoje e Sempre”, com base em Mateus 13.31-32 e Hebreus 13.8. “Winterle enfocou o tamanho insignificante do grão de mostarda, comentado na parábola de Jesus, mas que é capaz de fazer brotar um arbusto. O Reino de Deus, frisou Winterle, não se instala como uma empresa, que recorre aos sofisticados recursos do marketing para crescer. Foram os imigrantes alemães, "nossos avós, bisavós, que trouxeram essa semente" ao Sul do país. Alertou, contudo, que ainda há muito chão a ser semeado e que existe muita fruta madura que precisa ser colhida.” (Mensageiro Luterano, Março de 2004, nº 3, ano 87, p. 9)
      Para celebrar o 100º aniversário da IELB, foi escolhido o dia 11 de janeiro de 2004. Assim, durante todo o ano teríamos a possibilidade de realizar festividades lembrando a data tão especial para a IELB. O Culto do Centenário foi celebrado nas dependências da ExpoGramado, Centro de Eventos localizado em Gramado, RS. Tivemos a participação de mais de doze mil pessoas, e transmitido ao vivo pela Rádio Excelsior AM, de Gramado, RS.
      Em cada uma dessas datas e tantas outras recebemos preciosos aprendizados e transmitimos valiosos ensinamentos. Podemos classificar esses 108 anos como, IELB, uma igreja que ensinou e foi ensinada com a graça de Deus. Esse ensino e aprendizado pode ser classificado como uma biblioteca histórica da IELB em terras brasileiras. E a marca essencial da biblioteca histórica da IELB é que em todas as situações sejam quais foram, sempre esteve fundamentada na biblioteca divina – a Bíblia.


Rev. Edson Ronaldo Tressmann
cristo_para_todos@hotmail.com

(continua na próxima terça-feira dia 17/07/12)

segunda-feira, 9 de julho de 2012

FAMÍLIA X ESCOLA

Artigo: A escola não é responsável pelo que seu filho faz dentro dela

zero hora 03 de julho de 2012
Nilmar Machado Oliveira* professor

      Apesar de todas as mazelas da educação brasileira, assistimos diariamente à sobrecarga de tarefas e à inversão de papéis por parte de muitos especialistas em relação à escola. No programa Fantástico do dia 24/6, uma matéria sobre violência nas escolas traz um destes especialistas afirmando que ela não é um problema social. Para ele, a escola não está preparada, e é responsável pelos acontecimentos.
      Não podemos conceber que a escola seja responsabilizada pelo comportamento de nossos filhos. Por mais sucateadas que estejam, elas ainda contam com profissionais que, mesmo pisando em ovos e sem um pingo de autonomia, continuam trabalhando com dedicação e responsabilidade. Diretores administram verdadeiras bombas-relógio, agem como bombeiros e, na maioria das vezes, são criticados por atitudes pelas quais não são responsáveis.
      Diretores e professores têm que se preocupar com o pedagógico. Condutas criminosas e violentas não devem ser pauta para professores e diretores. A tarefa de ensinar já é grande e mal remunerada, além dela a sociedade parece atribuir muitas outras funções para estes profissionais que já não aguentam mais.
      A educação caminha para o caos, já apresenta uma situação crítica, mas o colapso está próximo. Enquanto não for recuperada a responsabilidade familiar, enquanto não se acabar com a terceirização da criação da mão-de-obra barata, entre outros problemas sociais, as escolas ficarão vulneráveis a todas as espécies de sintomas da falta de estrutura familiar.
      A escola nunca foi e nunca será responsável pelo que nossos filhos fazem dentro dela. Atribuir essa responsabilidade para a escola é cruel e massacrante. Os alunos são um reflexo do que vivem em casa. Estamos muito distantes de uma educação transformadora. No Brasil, é a sociedade que está mudando a escola, deixando-a cada vez mais permissiva e adaptada aos interesses burgueses.

***************************************************************

OPINIÃO: (Pastor Martinho F. Voss - IELB)
      1) O autor diz: "Condutas criminosas e violentas não devem ser pauta para professores e diretores".  Condutas criminosas e violentas é problema para a polícia resolver. Os professores não foram preparados para resolver este problema. Professores resolvem problemas de matemática, física, química, história, ...
      2) Os problemas de violência dentro da escola, são trazidos de casa. Famílias que vivem sem Deus no coração, sem amor fraternal, que se envolvem com  drogas, prostituição, violência familiar, são atos degradantes em qualquer meio social e que corrompem o bom comportamento e destroem a paz que muitos almejam, mesmo vivendo nestas condições.
       3) A Palavra de Deus nos ensina pelo menos duas coisas de suma importância para o nosso "bem viver" nesta terra: 1º) Ensinar o caminho certo:  "Ensina a criança no caminho (Jesus Cristo é o caminho) que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviartá dele."Provérbios 22.6. 2º) Viver e Guardar a palavra de Deus: "Se alguém me ama, diz Jesus, guardará a minha Palavra...Quem não me ama não guardará as minhas palavras, e a minha palavra é de Deus que me enviou." e Jesus conclui dizendo: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo". João 14.23,24,27. Esta paz é a paz do perdão, do amor a Deus, do respeito ao próximo.
      4) O autor desse artigo diz: "Enquanto não for recuperada a responsabilidade familiar"... Sim, pais e mães precisam aprender, ou melhor, reaprender a educar seus filhos.  Muitos dos pais que não tem domínio sobre seus filhos, jogam a culpa no "ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE". O que estes pais precisam aprender é como usar este Estatuto para educar seus filhos. Espancar, agredir física ou emocionalmente é crime. Educar com respeito, com autoridade, não é crime. Dar respeito para receber respeito é a regra da boa convivência familiar e social.

          Qual é a sua opinião sobre este assunto? Escreva e mande para: mfvossdiparsul@hotmail.com , com a sua autorização publicaremos sua opinião neste blog, nas segundas-feiras do mes de julho de 2012.

domingo, 8 de julho de 2012

REFLEXÃO DE DOMINGO

As folhas caem no outono
     Fui catando do chão as folhas amarelas caídas, uma a uma, em ginástica forçada. Olhei então para a árvore que se desnudava impotente; não havia como lutar para retê-las, o outono chegara, o tempo se cumpria.
     Também para nós, as folhas/horas de verde/plenitude, vão se esvaindo sem que nada possamos fazer pois nos chega o outono da nossa vida. Por mais que queiramos reter o tempo, ele passa em igual medida como sempre passou, ainda que nos pareça mais rápido com o passar dos anos. E vamos nos desnudando de saúde, de memória, de vigor, de agilidade, de antigos afetos.
     As folhas/horas vão caindo e nos sentimos indefesos na luta para concluir a obra que sonhávamos realizar.
     Para nós, diferente da natureza, a primavera não torna mais, embarcamos de vez no outono que se aproxima do inverno triste e hostil.
     O que fazer? É a pergunta que não quer calar. O jeito é aproveitar e dar valor como nunca antes, aos dias em que o sol aquece, alegra, revigora; dias de carinho, de abraços e atenções. Cada um desses dias poderá a vir a ter, em nossa vida, horas inesquecíveis que produzem frutos sazonais, doces e únicos.
     Deus nos dá a vida, e com ela recebemos bênçãos de amor, família, realizações, alegrias, triunfos, assim como derrotas e também vitórias sobre elas.
     Deus em sua insondável sabedoria criou as estações que regem a natureza, e criou as diferentes fases da nossa existência. Vivamos pois cada fase que alcançamos de maneira plena, com o discernimento que o Senhor nos concedeu.
     Se por graça alcançarmos o outono de nossas vidas, agradeçamos cada folha/hora caída, toda a etapa vencida. E quando a última folha cair, e nós/árvore estivermos desnudadas ao fim do último outono e o inverno nos tocar, que estejamos prontos e cientes que a primavera cheia de flores e frutos nos aguarda junto à nossa Rocha Eterna, no jardim do paraíso. E lá será para sempre.
Elaine Ikkert Stahlhoefer